Correlação entre a epidemiologia do trauma e o atendimento de enfermagem em uma unidade de pronto-socorro

Marcos Aurélio Floriano Ferreira, Cléber Tuletzki Felizzari

Resumo


Os traumas por causas externas anualmente causam um grande número de mortes e deixam muitas pessoas com sequelas por toda a vida. A pesquisa foi realizada no período de trinta dias em uma unidade de pronto-socorro (PS) de um hospital de ensino da cidade de Curitiba-PR. Os traumas pesquisados foram os acidentes de trânsito sejam por meios de transporte motorizados ou não, traumas por arma de fogo (TAF) e traumas por arma branca (TAB). O estudo objetivou identificar o número de traumas ocorridos neste período, o sexo e a idade mais acometidos, os dias da semana que mais ocorrem e a etiologia. Foram verificados dados sobre a realidade vivida em Curitiba em comparação ao número de vítimas encontrado e por fim realizado o cálculo de dimensionamento de pessoal em enfermagem. A tabulação evidenciou que a faixa etária que esta mais propensa a sofrer com os traumas estão entre os adolescentes e adultos jovens, o sexo masculino é o mais acometido. Os acidentes de trânsito têm maior freqüência durante a semana no período da manhã e início da noite, já os TAF e TAB ocorrem nos finais de semana e no período da noite. A etiologia tem variações, entretanto a maioria dos casos o uso de álcool e/ou drogas esta associado. Pelo dimensionamento chegou-se a conclusão de que o número de profissionais da enfermagem não é suficiente. Como os números de ocorrências foram altos e o número de trabalhadores era pequeno conclui-se que há sobrecarga de trabalho prejudicando tanto o funcionário como a instituição.


Texto completo: PDF